Saúde

Como impulsionar a neuroplasticidade na direcção certa?

Como gerar mais neuroplasticidade e garantir um movimento fluido e sem dor?

O movimento é uma expressão da qualidade da informação que o cérebro assimila do ambiente interno e externo, bem como da eficiência com que processa essa mesma informação.


O movimento humano é, portanto, uma janela para o estado actual do sistema nervoso, razão pela qual pode ser usado como um marcador na identificação de assimetrias funcionais e como um tratamento para fornecer mais inputs de qualidade.


Se considerarmos que a única estratégia pela qual o cérebro tem acesso ao mundo exterior é através dos sentidos, será então mais apropriado combinar o movimento (input proprioceptivo) com outros sistemas sensoriais, para gerar mais neuroplasticidade e, assim, garantir um movimento fluido e sem dor.


É o mapa corporal que possibilita que o cérebro defina programas motores eficientes para permitir movimentação com o menor gasto de energia possível, auxiliando o corpo a adaptar-se ao ambiente. Não obstante a complexidade de recursos envolvidos na construção deste mapa, na perspectiva do movimento, a estimulação parece ser a peça do puzzle que mais gera preocupação.


“Ok, o estímulo proprioceptivo corresponde a uma parte do processo, a um dado nível de integração, mas e o sistema visual ou o sistema vestibular?”, perguntas tu.


Devolvemos-te 3 questões em resposta à tua dúvida:

- Quão fácil é andar na rua sem um estímulo visual?

- Quão difícil é para alguém com afecções no ouvido interno manter o equilíbrio e mover-se com precisão?

- De que forma funciona o cerebelo para poder integrar, efectivamente, todas as entradas sensoriais para permitir que o movimento seja suave e controlado?


Estas são perguntas que precisas de fazer e, assim, mudar o teu foco para a construção de uma caixa de ferramentas de avaliação e tratamentos para auxiliar o teu utente/cliente a facilitar a integração sensorial antes mesmo de começar a trabalhar o movimento.


A chave é tornar isso simples para o teu utente/cliente, a fim de impulsionar a neuroplasticidade na direcção certa. Ser capaz de procurar estas assimetrias subtis que são exclusivas de cada um e ter uma série de exercícios que integram todos os sistemas sensoriais, é algo que irá certamente diferenciar-te de outro profissional.


Não tenho qualquer dúvida que estás em constante busca do próximo melhor método para apoiar o teu utente/cliente a alcançar uma optimização da performance ou aliviar aquela dor persistente de meses ou mesmo anos.


Assim como tenho a certeza que este é o curso para ti: Movement Therapy.

Ver Mais

Partilha este artigo

Share to Facebook Share to Twitter Share to Google + Share to Mail

Cursos Relacionados

Movement Therapy na Terapia Miofascial

5 Jul - 7 Jul 2019 20h Porto

Movement Therapy na Terapia Miofascial

Movement Therapy na Terapia Miofascial

21 Jun - 23 Jun 2019 20h Lisboa

Movement Therapy na Terapia Miofascial

Newsletter Fica a saber tudo para seres cada vez melhor. Regista-te aqui!