Saúde

BRUXISMO AFECTA MILHARES DE PORTUGUESES


  • Estima-se que grande parte das dores de cabeça tenha origem na falta de dentes, ranger ou bruxismo, oclusão deficiente ou na forma como os dentes superiores encaixam nos inferiores.  

    Embora sendo uma condição comum e a tendência seja para que a maioria da população, em algum momento da sua vida, ranja ou aperte os dentes, é a intensidade e a repetição periódica que caracteriza a parafunção. Em Portugal, estima-se que cerca de 100 mil portugueses sofram de bruxismo ou ranger involuntário dos dentes, principalmente durante o sono, mas apenas 1/% tem consciência disso mesmo. 

    Sempre que há uma alteração na articulação entre a arcada dentária superior com a arcada dentária inferior e em todos os componentes que as envolvem com os dentes, maxilares, sistema neuromuscular, articulações temporomandibulares, ou seja, uma oclusão deficiente resulta em aumento da pressão intracraniana, podendo resultar em enxaquecas e em desequilíbrio postural.

    Causas:
    - Perda prematura dos dentes: "Quando se perde, por exemplo, um dente inferior, os dentes adjacentes começam a ocupar o espeço, o dente antagonista começa a descer e vai buscar contactos prematuros que não estão dentro da oclusão normal. A partir daí vai transmitir à articulação toda essa pressão e consequentemente o agravamento dos ligamentos dos músculos vai fazer-se sentir no cérebro."

    - Sisos: "Assim que os dentes do siso começam a desenvolver-se e por não terem espaço onde encaixar, exercem pressão nos dentes vizinhos, que resultam num desequilíbrio da articulação do maxilar, que se transmite não só aos músculos da cabeça como em toda a postura, que resulta em dores na coluna cervical acompanhadas por enxaquecas."

    - Ranger dos dentes ou bruxismo: "Os problemas do dia são sentidos também à noite. Inconscientemente, vamos ferrar os dentes e enquanto, normalment e durante o dia, apenas precisamos de 20 minutos para mastigar e triturar os alimentos, durante a noite podemos estar horas a fazê-lo e não damos conta. Entramos numa luta violenta da articulação temporomandibular e de toda a musculatura craniofacial. No dia seguinte acordamos com sensação de cansaço e dores nas articulações."


    Fonte: RTP Notícias

Partilha este artigo

Share to Facebook Share to Twitter Share to Google + Share to Mail

Newsletter Fica a saber tudo para seres cada vez melhor. Regista-te aqui!