Saúde

Células estaminais podem curar funcionalmente diabetes tipo 1

Investigadores estão a trabalhar num método que liberta insulina no corpo à medida que esta é necessária, com recurso a células estaminais

Investigadores estão a trabalhar num método que liberta insulina no corpo à medida que esta é necessária, com recurso a células estaminais. 
A diabetes afecta mais de 300 milhões de pessoas em todo o mundo. Em Portugal, estima-se que exista mais de 1 milhão de indivíduos com a doença, sendo que cerca de 10% serão doentes com diabetes tipo 1. 

O implante experimental foi colocado em duas pessoas. Em três meses deverá começar a produzir insulina, de acordo com a revista New Scientist.

A inovação está na utilização de células estaminais que se desenvolvem no organismo, através de um implante chamado PEC-Direct. 

No implante estão contidas as células estaminais que, já dentro do corpo, entram num processo de maturação que dura três meses, especializando-se para produzir a insulina. Estas células foram originadas a partir de um embrião nos primeiros estádios de desenvolvimento não aproveitado por uma mulher que fez fertilização in vitro.

Este poderá ser o factor que marca a diferença face a outras tentativas anteriores falhadas de utilização de células estaminais para o tratamento da doença.

 “Se resultar, podemos chamar de cura funcional, porque o método não permitirá corrigir a causa da diabetes e requer que o paciente tome imunosupressores para que o organismo não rejeite as células estaminais, diz Paul Laikind, da Viacyte. 

Partilha este artigo

Share to Facebook Share to Twitter Share to Google + Share to Mail

Newsletter Fica a saber tudo para seres cada vez melhor. Regista-te aqui!