Saúde

PILATES CONTEMPORÂNEO: DA FILOSOFIA À EVOLUÇÃO

  • Ingrid Vargas, Fisioterapeuta fundadora do conceito de Pilates Contemporâneo®. É, actualmente, uma das poucas profissionais que viveram e aprenderem com discípulos do Joseph Pilates, bem como pelos trabalhos científicos de elevado mérito que tem desenvolvido na área do Pilates.

    Em entrevista, Ingrid fala sobre a importância dos princípios do pilates, as novas técnicas e a importância da formação na área.

    Como foi a experiência de receber o ensinamento sobre pilates de alguém que aprendeu com o próprio Joseph Pilates?
    Ingrid Quartarolo – Fui indicada para fazer um treinamento, que chamo de vivência, na casa de Molly, uma das discípulas de Joseph, em 2004. Passei um tempo praticando e aprendendo a raiz do pilates tradicional. Nessa época, ela tinha 81 anos. Foi muito especial. Já tinha feito vários cursos de pilates, mas nunca tinha aprendido a essência do método, que é cheio de princípios filosóficos, como concentração, respiração, powerhouse, equilíbrio, repetições, e o principal, que era como Joseph chamava o método dele, a contrologia. Todos esses princípios fazem com que a prática do método não seja apenas uma série de exercícios feitos em máquinas diferentes, e que se torne uma filosofia de vida. Com ela, recebi a tarefa de passar esse conhecimento à frente para que o método
    não se perdesse.


    O pilates tem passado por diversas evoluções. Como vê essas mudanças?
    Ingrid – O próprio Joseph Pilates estava sempre buscando o novo. Acho natural que o método passe por um processo evolutivo. Porém, é necessário ter atenção ao que realmente é pilates. Atualmente, se coloca o nome pilates em qualquer movimento do corpo que tenha contração abdominal. Temos de ter atenção a isso. Pilates é um método de exercício que desenvolve a energia vital, melhora a flexibilidade, a amplitude articular, a circulação sanguínea, revigora a mente e eleva o espírito. Esta prática pode ser feita nos aparelhos desenvolvidos por Joseph Pilates — como os clássicos reformer, cadilac, cadeira ou step chair, ladder barrel —, além da prática do pilates solo. Hoje, também usamos rolos, bolas, magic circle e fitas suspensas. Toda essa prática, para ser realmente pilates, dever ser feita respeitando os princípios filosóficos. Caso não o seja, não é pilates, e sim qualquer outra coisa que usa o nome pilates para vender.


    Como o pilates consegue integrar corpo e saúde mental?
    Ingrid – Joseph Pilates acreditava que, se uma pessoa tem contrologia, ela tem saúde e felicidade. A contrologia é a harmonia entre o corpo, a mente e o espírito. Quando encontramos essa harmonia, temos saúde. Atualmente, vemos as pessoas, de uma maneira geral, perdidas dentro de si, sem reconhecerem mais o que é fundamental para esse equilíbrio interno, olhando para fora de si. Entender e viver a contrologia é um convite ao autoconhecimento.


    Qual a importância de procurar profissionais capacitados para prática? Quais riscos se corre na prática mal orientada?
    Ingrid – É fundamental que a prática seja com um profissional bem qualificado. Se um movimento for ensinado de forma inadequada ou colocado em um momento incorreto, pode causar sérias lesões na coluna, ombros e joelhos. Recebo no meu estúdio, diariamente, pessoas que se machucaram praticando pilates. Quando digo que irei tratá-las no pilates para mostrar que o problema não é o método, mas sim a forma que ele é feito, elas se assustam. Quando melhoram, nunca mais querem deixar de praticar. O método bem ensinado e praticado tem como principal objetivo a saúde física e mental e isso consequentemente uma melhor qualidade de vida.

    Fonte: Blog www.pilatescontemporaneo.com

Partilha este artigo

Share to Facebook Share to Twitter Share to Google + Share to Mail

Newsletter Fica a saber tudo para seres cada vez melhor. Regista-te aqui!